Professores dos cursos de Comunicação que foram acadêmicos da Uniuv contam suas experiências profissionais na instituição

 

Repórter: Cristiano Michahouski

 

Alguns dos profissionais que fazem parte do corpo docente do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), são bem conhecidos pelos acadêmicos dos cursos de Comunicação Social. Mas o que poucos sabem, é que parte desses professores já foram estudantes da Uniuv. Conhecido por ser o coordenador do curso de Jornalismo e lecionar algumas matérias para os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, Edinei José Wassoaski, já deu as caras na instituição muito antes de trabalhar como professor. Wassoaski conta que a ideia de dar aula na Uniuv, surgiu quando ainda estava no último ano da faculdade. O convite surgiu por meio da professora Angela Maria Farah, que na época era coordenadora do curso de Jornalismo, que Wassoaski cursava. “Nunca pensei que a oportunidade para dar aulas viesse tão cedo. Após o convite da professora Angela, iniciei minha pós-raduação, e quando ainda estava no primeiro ano, abriu uma vaga na Uniuv e eu consegui entrar como monitor, pois ainda não havia concluído a pós”, conta. Ele relembra que iniciou o curso de Jornalismo em 2002 e antes havia feito um ano de Relações Públicas na Uniuv. “Sempre foi meu sonho, mas como não havia o curso no ano anterior, optei por iniciar Relações Públicas, para eliminar matérias quando tivesse a oportunidade de cursar Jornalismo. Desde que me formei, a faculdade mudou bastante, na época era apenas um prédio e agora temos toda essa grandiosa estrutura. Acredito que dar aula na mesma instituição que me formei é gratificante, no começo achava estranho, ensinar algumas pessoas que tinham estudado comigo, agora depois de alguns anos, posso ver a minha evolução pessoal e profissional”, relata Wassoaski.

Outro professor conhecido pelos acadêmicos da Uniuv, é Tiago Josie Kohut, que dá aulas de economia e empreendedorismo na instituição. Ele conta que quando cursava o último ano de Ciências Econômicas, surgiu o interesse em ser professor dentro do ensino superior. “Antes da faculdade não tinha vontade de ser professor, não me via dando aulas, mas quando estava terminando minha graduação, comecei a despertar o interesse pela profissão, pude ver que eu poderia sim ensinar economia para os alunos”, diz. De acordo com Kohut, assim que fez algumas especializações na área de economia, fez concurso para professor na Uniuv. “Entrei na Uniuv em 2009, dei aula para diferentes turmas, algumas com três alunos e outras com 70”, relata.

Kohut ainda conta sobre as experiências na carreira de professor e também fala sobre sua evolução profissional. “Já dei aula para alunos mais velhos que eu. Aos 23 anos era chamado de senhor, algo que me espantava no início, então para mim, ser professor, é experimentar novas sensações. Alguém de 60 anos, ser seu aluno e te tratar com o mesmo respeito que você trata seus pais, mas por muitas vezes ser querido e odiado pelos alunos, tudo isso em um mesmo momento.” finaliza.

Luíz Carlos Storck Junior, o famoso Sabiá, como é conhecido dentro da Uniuv, cursou Publicidade e Propaganda na instituição, se formou em 2012 e depois de três anos voltou como professor. Ele conta que evoluiu bastante como profissional desde que se formou e que a vivência como professor no meio acadêmico o fez mudar bastante. “Quando estava no terceiro ano da graduação, comecei a ter interesse em ser professor da instituição, quando abriu processo seletivo, fiz e consegui passar. De início tinha uma carga horária bem menor, hoje já tive a oportunidade de aumentar essas horas”, conta Sabiá. Ele relata que muitas coisas que ele fazia quando era acadêmico, junto com a experiência que possui atualmente, ele usa como exemplo para seus alunos. “Acredito que essas experiências me ajudam na proximidade com a turma, claro que hoje minha mente é outra, pois como professor algumas visões mudam totalmente”, ressalta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *