Acadêmicos do 3º ano de Comunicação Social contam suas expectativas para o último ano de faculdade

O último ano da faculdade é marcado por ser um ano decisivo para todos acadêmicos. Nesta fase que os alunos ficam sabendo se o esforço de quatro anos dentro da universidade tiveram resultados positivos. Junto com a expectativa para saber como é estar se formando, como é o temido Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), surgem diversas dúvidas em relação aos trabalhos e ao término da graduação.

Desenvolver um bom trabalho na universidade e ter um é fundamental para concluir o curso e assim chegar à formatura. No terceiro ano do curso de Jornalismo do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), os acadêmicos desenvolvem um Projeto de Pesquisa, que é pré-requisito para a elaboração do TCC, tendo em mente que o tema deste projeto desenvolvido é o mesmo tema do TCC, que será elaborado ao longo do ano seguinte.

Os acadêmicos que em 2017 estão no terceiro ano, se preparam agora para entrar em 2018 no tão sonhado quarto ano, que é o último ano da graduação. Agora que as notas já saíram e com a aprovação nas matérias, é só aguardar a chegada do sétimo semestre para dar início aos trabalhos acadêmicos que farão parte do último ano. A turma de Comunicação Social que caminha para a reta final do curso iniciou os estudos na Uniuv em 2015 e em 2018 conclui a jornada acadêmica.

A acadêmica Mariana Baufleur, que está no sexto semestre de Jornalismo, ou seja terceiro ano, conta como está sua ansiedade para o ano de 2018 na Uniuv.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

De acordo com a acadêmica Regiane Antonina Stachera, ano que vem promete. Ela que ficou alguns anos fora da instituição, diz que o TCC ainda causa espanto, mas que também está ansiosa para se formar.

Raffael Suda, relata que no último ano pretende focar ainda mais nos estudos e conta como pretende fazer sua jornada acadêmica no ano que vem.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Game over e loading 90%: o adeus e as expectativas para o último ano

Mais um final de ano chega e com ele novas mudanças para todos os acadêmicos. Uns saem da faculdade, outros entram e alguns passam para a próxima fase. A etapa final, com o assustador Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), chega a todos. Não seria diferente para os acadêmicos dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), no último ano.

GAME OVER

O momento de dar adeus a quatro anos de esforço e estudo é o caso do Bruno Guilherme Fernandes, formando de Jornalismo. O TCC de Bruno foi sobre a influência dos youtubers. Ele conta um pouco sobre essa jornada e quais os planos daqui para a frente.

Amanda Chechinatto, formanda do curso de Publicidade e Propaganda, também deu adeus aos quatro anos de faculdade. Amanda apresentou duas campanhas no decorrer do ano. Uma para o relançamento do Cine Teatro Luz, no meio do ano e, a outra para o lançamento do marshmallow para assar da marca Fini, no final do ano.

Ela conta como foram esses anos de faculdade e quais as maiores dificuldades.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Amanda ainda conta se todo o esforço valeu a pena e quais os planos daqui para a frente.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

LOADING 90%

Já para a acadêmica Luana Sznicer, agora acadêmica do 7º semestre de Publicidade e Propaganda, as expectativas para o último ano aumentam e muito. “Dá um frio na barriga de pensar que já estamos no último ano, passou muito rápido”, fala. Para ela, parece que ainda ontem foi o primeiro dia de aula no primeiro ano.

“As expectativas são as melhores possíveis, espero dar conta de tudo”, conclui Luana com um grande sorriso no rosto. A acadêmica de Paula Freitas diz aliviada que valerá muito a pena todo o esforço. “Vale a pena pela experiência, pelos amigos que fiz, pelo aprendizado, pelo crescimento pessoa, é uma parte da minha vida que eu nunca vou esquecer”.

Mesa Redonda sobre Gênero na Comunicação foi um sucesso

Conservadorismo e questões religiosas são alguns fatores que fazem o tema de gênero e sexualidade não adiantar no Congresso brasileiro. Mais do que uma “modinha”, o assunto é sério e precisa ser discutido. Em qualquer área é bem-vindo conversar sobre, mas, os futuros comunicadores e formadores de opinião, em algum momento da  carreira irão se deparar com o tema, e é o mínimo saber como lidar e escrever coisas erradas.

Não existe um lugar ideal para debater essas questões, mas é válido e precisa ser ressaltado a importância de se discutir essa pauta, em uma instituição de ensino. Por isso, no dia 21 de novembro, aconteceu no Centro Universitário de União da Vitória, a Mesa Redonda com o tema ‘Gênero na Comunicação’. O evento foi planejado pelos acadêmicos do sexto semestre de Jornalismo, com a orientação da professora Angela Farah.

O evento contou com a presença da professora de História da Unespar, Dulceli Tonet Stacheski, o representante do movimento LGBTI – União da Vitória, Felipe Bueno, da professora do curso de Publicidade, Tatiane Banisk, e como a mediadora a professora Angela.

Os assuntos tratados no dia foram sobre a vulgaridade e desprezo que a mulher é e foi tratada na comunicação e também todo o preconceito com pessoas LGBTI. Desinformação é um ponto característico dessas situações que resulta no preconceito e o uso errado de conceitos ligados a esses dois perfis.

Quando o assunto foi a mulher na publicidade foram dados inúmeros exemplos pelos convidados para compor a mesa e os que foram assistir. Um muito lembrado foi a vulgaridade que a mulher é submetida por algumas marcas. Propaganda de cerveja foi uma lembrada. Algumas marcas de cerveja ainda associam o produto “cerveja” com o produto “mulher”.

Algum tempo atrás as pessoas podiam ver que nas marcas da bebida que as mulheres se tornavam o foco principal da propaganda e os homens que bebiam destas cervejas, tinham o poder de conseguir todas elas apenas por beber a “loira gelada”. Isso ajudou  a prejudicar a imagem da mulher. Outro ponto marcante da noite foi o depoimento de duas publicitárias presentes na plateia, contando a dificuldade de se trabalhar em ambientes quase todos machistas. Uma delas relatou que já fez toda uma campanha, mas na hora de vender o produto final, foi preciso passar para dois homens, publicitários, porque passaria mais credibilidade e venderia mais fácil. Elas destacou que isso só reflete o quão a sociedade machista está impregnada em várias situações e lugares.

 

Guilherme Braiam:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Felipe Bueno, representante do movimento LGBTI, contou como a imprensa se comporta diante dos manifestos feitos nos últimos anos. Ele conta que no primeiro ano, como foi a primeira vez que aconteceria a imprensa local compareceu em peso. Já no segundo evento que aconteceu esse ano, não teve nenhuma empresa de comunicação para cobrir o manifesto. Bueno acredita, que pode ser um descaso com o movimento, mas não perde as esperanças de um dia ter a imprensa local presente.

A Mesa Redonda teve êxito como um primeiro encontro, e já haverá uma próxima edição no ano que vem sobre outros temas importantes que precisam ser debatidos e estão sendo deixado de lado.

Fim de ano letivo 2017

Após os quatro bimestres de 2017, alunos definem o ano acadêmico e compartilham pensamentos

Repórter: Paula Partyka

O ano de 2017 ainda não acabou, mas o ano letivo já acabou no Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv). Os acadêmicos de Comunicação Social contam que o ano foi principalmente de aprendizado e diversão.

Para Eduarda Benvenutti, que terminou o primeiro ano do curso de Jornalismo, a faculdade é ótima. “Superou as expectativas e foi muito interessante essa mudança do Ensino Médio para a faculdade”.

Eduarda diz que antes de começar a cursar a facudade, pensava muito em seguir na parte da redação jornalística ou telejornal. Mas com o decorrer do ano, segundo ela, apareceram tantas opções, que ela não sabe mais o que quer.

Para o próximo ano, seu objetivo é se aprofundar mais em cada área, principalmente nas aulas ministradas pela professora Ana Cristina Bostelmam, que é o que Eduarda se interessa. Ela comenta ainda que está ansiosa para aprender sobre grande reportagem.

A acadêmica do terceiro ano de Publicidade e Propaganda (PP), Luciane Casal, contou que essa etapa do curso foi um pouco mais pesada. “Esse ano não foi só teórico, colocamos muitas coisas em prática”, disse.

Foi um ano produtivo na perspectiva de Luciane. Apesar de ser corrido, devido as provas, trabalhos e também o desenvolvimento do estágio, que é uma etapa fundamental no curso, foi um ano “excelente”.

Em 2018, será o ultimo ano de faculdade de Luciane e ela espera poder desenvolver ainda mais trabalhos práticos e focar em planejamento e criação de campanhas, que é o que ela mais se identifica.

Gabriel Gajdeczka dos Santos finalizou segundo ano de PP e conta que o ano foi “relativamente bom”. Ele explica que durante o ano teve alguns problemas pessoais e familiares que acabaram abalando um pouco o caminho dos estudos da faculdade. Contudo, ele conseguiu concluir o ano e disse que “superou as expectativas”. Ele se interessa muito por criação e áudio visual e pretende focar nessas áreas.

No próximo ano Gabriel estará deixando a cidade de União da Vitória, por motivos pessoais, e consequentemente encerra seu ciclo de estudos na Uniuv. “Eu vou sentir falta da Uniuv e dos amigos que fiz ali, das coisas boas que vivi”, lamenta.

Os cursos de Comunicação Social da Uniuv tem duração de quatro anos, e de acordo com a professora Juliana Biscaia, a cada ano há um número maior de acadêmicos. O fim de ano letivo é um ótimo parâmetro da satisfação dos alunos, que defiram em cinco palavras como foi esse ano. Confira:

 

Chegou a hora de pensar no TCC. E agora?

Alunos de Jornalismo apresentam o TCC e deixam dicas sobre como se realizar com a pesquisa

 Repórter: Regiane Stachera

 

 Quando se inicia um curso superior, o primeiro ano parece ainda distante para decidir qual tema abordar  no Trabalho de Conclusão de Curso, o temido TCC. Chegada a hora da decisão, muitas dúvidas podem atrapalhar.

O nervosismo inicial da apresentação pela busca da aprovação da banca é algo que não se pode escapar, mas o alívio e a sensação de um trabalho feito com muito empenho é algo que se leva para a vida toda,  como um aprendizado para o pontapé inicial no mercado de trabalho.

Nas noites de quinta-feira (31) e sexta-feira (1º), os acadêmicos do oitavo semestre do curso de Jornalismo apresentaram  seus trabalhos na sala de eventos do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv). Bruno Guilherme Fernandes e Ivana Caroline dão dicas  de como se preparar para a escolha do tema. Confira nos vídeos:

 

Dicas para os Indecisos

O que é fundamental?

Para ser especial

Acadêmica de Jornalismo apresenta TCC sobre animais de rua

Na noite da quinta-feira, 30 de novembro, os acadêmicos do curso de jornalismo do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), apresentaram seus Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC). Na banca avaliadora estavam presentes os professores Ana Cristina Bostelmam, Amauri Yamauti e Edinei Wassoaski.

Um dos trabalhos apresentados na noite foi da acadêmica do oitavo semestre de Jornalismo, Adeline Volochem, e o tema do trabalho apresentado por ela foi ‘4 Patas: adotando animais de rua’. Ela produziu uma grande reportagem impressa em revista.

 

 

 

Ela contou os motivos que a levaram a escolher esse tema para o seu TCC.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Ainda sobre o projeto ela fala que não teve dificuldades na realização. Adeline já tinha contato com algumas pessoas que desenvolviam trabalhos com cães de rua.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Durante a realização das reportagens ela conta que obteve um grande amadurecimento, tanto jornalisticante quanto como pessoa, mesmo já tendo com tato com esse meio.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O trabalho de TCC do curso de Jornalismo se inicia no terceiro ano da faculdade, depois de dois anos trabalhando em cima do projeto Adeline desabafa sobre a sensação de dever cumprido.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Acadêmico de Jornalismo apresenta TCC sobre A Influência dos Youtubers

Cada dia mais o Youtube está se tornando uma ferramenta fundamental para as pessoas, por meio dele é possível ter acesso aos mais variados tipos de conteúdo disponiblizados na internet. A rede social têm ganhado mais espaço nas mídias nos últimos anos e quem é também responsável por dar destaque a este meio são os Youtubers. Os Youtubers são pessoas que têm canais dentro da rede social e nele postam vídeos, que são acompanhados por milhares de pessoas diariamente.

A popularização da rede social e também dos Youtubers, fez com que o acadêmico Bruno Guilherme Fernandes tivesse a ideia de realizar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sobre a Influência dos Youtubers.

O tema por tratar da influência sobre algo, é abordado por meio de entrevistas realizadas por profissionais que estudam grupos sociais, como psicólogos e sociólogos. Além de contar com entrevistas realizadas com pais e professores de crianças, para que eles possam analisar e observar se realmente as crianças sofrem algum tipo de influência dos Youtubers quando os assistem e também para debater sobre o assunto. Bruno, que cursa o último ano do curso de Jornalismo no Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), conta que também quis analisar as faixas etárias das pessoas que acompanham o trabalho dos youtubers, ver quais tipos de vídeos cada faixa etária tem preferência em ver. O trabalho foca principalmente na influência que estas pessoas que trabalham na internet exercem na mente das crianças e dos jovens, que é a idade em que a influência tem mais poder de persuasão.

Bruno conta como escolheu o tema para o TCC e como foi o andamento de seu trabalho durante o período de desenvolvimento até sua finalização.

 

Bruno conta que, antes de apresentar o TCC , o nervosismo toma conta, mas que é possível controlar a ansiedade antes de saber do resultado. Durante a apresentação de seu TCC, Bruno se mostrou tranquilo e confiante, mostrando que estava dominando o assunto que escolheu como tema principal de seu estudo.

Bruno apresentando seu TCC.

 

Você pode conferir a grande reportagem para TV, desenvolvida pelo acadêmico Bruno Guilherme Fernandes no link abaixo:

 

 

Esquizofrênicos é tema de TCC no curso de Jornalismo

Esquizofrênicos, esse foi o tema do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da acadêmica do oitavo semestre de Jornalismo da Uniuv, Amanda Letícia, orientado pela professora Ana Cristina Bostelmam. O formato escolhido por ela foi o de multimídia, em que foi elaborado um site contando quatro histórias de pessoas esquizofrênicas da cidade de União da Vitória.

Amanda, que fez o TCC sobre esquizofrenia
Professora Ana Cristina, orientadora do projeto

 
Além das histórias, Amanda discorre sobre o que é esquizofrenia, luta antimanicomial, importância da família e tratamentos opcionais. Para Amanda, foi gratificante ter trabalhado esse tema tão delicado. Ela conta que não foi tão difícil quanto imaginou ter construído a grande reportagem. Principalmente em relação as fontes, por se tratar de um tema delicado e as pessoas,às vezes, terem medo de se identificarem. Grande dificuldade foi apenas a como psiquiatra, conseguindo apenas em outubro, no final do ano.

Amanda acredita que por ser multimídia sua grande reportagem pode alcançar bem mais pessoas. Por isso a escolha da plataforma. Amanda diz que ainda não sabe quais os planos daqui pra frente, mas pretende continuar estudando, quer fazer uma pós-graduação na área de assessoria executiva ou marketing.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Você pode acessar o site em: http://esquizofrenicos.com.br/

A Representação da Mulher no Cinema é tema de TCC na UNIUV

Na primeira noite do mês de dezembro, aconteceu no Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), as apresentações dos Trabalhos de Conclusões de Curso (TCC) de Jornalismo.

Ivana Caroline apresentou seu trabalho com tema “Representação da Mulher no Cinema”. Ela conta que escolheu esse tema porque se identifica muito com esse assunto. “Então eu não ficaria enjoada dele”, conta.

Fazendo um breve relato sobre os pontos negativos que ela encontrou na construção do seu trabalho, ela diz que foi a das pessoas não aceitarem dar entrevista. “Também fazer o TC, e dar conta do restante da faculdade e lidar com a pressão e o nervosismo é bastante complicado”, diz Ivana.

Segundo ela, o maior aprendizado foi saber que com esforço e dedicação é possível você conseguir seus objetivos.

 

Ela ressalta o desejo de divulgar seu trabalho. “ Ainda quero conseguir divulgar meu trabalho para gerar mesmo uma reflexão sobre o tema. Mas a princípio objetivo alcançado até aqui”, responde. Perguntada sobre os passos de agora em diante, ela conta que não pretende parar de estudar. “Quero fazer o curso de Publicidade para completar a formação”.

Acadêmicos de Jornalismo promovem mesa redonda sobre gênero na comunicação

Os alunos do sexto semestre de jornalismo organizaram uma mesa redonda com o tema Gênero na Comunicação. O intuito desse evento, voltado para os cursos de comunicação, foi por em debate as questões e abordagens desses temas na mídia atual, e por consequência nas produções publicitárias e jornalísticas dos futuros profissionais.

A ideia do evento surgiu durante as aulas de Técnicas de Reportagem e Pesquisa Jornalística, ministrada pela professora Angela Farah. Segundo os organizadores do evento, muitas discussões relacionadas ao modo que os meios de comunicação retratavam as mulheres e a classe LGBTQ surgiam, juntamente com muitas dúvidas de como abordar corretamente esses temas.

Então com o apoio e a coordenação da professora Angela foi posto em prática a ideia de uma mesa redonda. Foram convidados três representantes que pudessem falar de como o gênero é retratado na mídia como um todo, e trazer esclarecimentos em torno disso. Entre os convidados estava a professora de história da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) Dulceli Stacheski, que atualmente cursa doutorado em história na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pesquisando sobre, Pressões sociais de gênero que causam sofrimento e levam ao suicídio.

 

 

Outra convidada para o debate foi Tatiane Baniski, que é professora do curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), e  desenvolve um projeto de pesquisa, dentro do Programa de Incentivo a Pesquisa Acadêmica (PIPA) da Uniuv, com o tema, Objetificação da mulher e o Femvertising: um novo olhar sobre a representação feminina na propaganda brasileira.

 

E, por fim, o representante do movimento Coletivo União, Felipe Bueno, ele foi um dos responsáveis pela organização e realização das duas edições da Parada LGBTQ em União da Vitória.

 

No início do evento foi apresentado um pequeno vídeo produzido pelos alunos do sexto semestre de jornalismo, no vídeo aparecem muitos exemplos negativos de como tratar as questões de gênero.

Cada convidado teve dez minutos para fazer uma breve explanação, falando sobre os trabalhos realizados sobre gêneros e as questões que mais geram dúvidas na da sociedade, e também de suas experiências de vida, como foi o caso de Bueno representante da classe LGBTQ, que relatou as ações e impactos positivos e negativos sofridos na comunidade local. Depois disso os alunos, professores e demais pessoas presentes puderam fazer perguntas aos convidados.

Mariana Baufleur, acadêmica do sexto semestre de Jornalismo, conta que realizar um evento dessa magnitude trouxe muita experiência, muito aprendizado dentro da vida de todos como acadêmicos e pessoas. Já Cristiano Michahouski, que também participou da organização, acredita que a importância de discutir um tema tão delicado na faculdade é um privilégio. “Não é em todas as faculdades que abrem espaço para nós alunos discutirmos questões em evidência e que afetam nossa sociedade”, argumenta.

 

Alunos participam da mostra Viva Uniuv 2017

O Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), realizou na terça-feira, 14, a Mostra de cursos Viva UNIUV 2017. O objetivo da Mostra foi mostrar aos estudantes de Ensino Médio e a comunidade como a instituição funciona e o que cada curso oferece.

Os cursos de comunicação Jornalismo e Publicidade e Propaganda também participaram da Mostra.

Os acadêmicos do primeiro ano de Jornalismo ficaram no estúdio de rádio recebendo a comunidade e mostrando como o estúdio funciona no dia a dia da faculdade.

Rede Feminina de Combate ao Câncer lança calendário 2018

Solenidade reuniu pacientes da Rede, autoridades e comunidade em geral

Repórter: Paula Partyka

Na noite desta segunda-feira, 20, no Centro Universitário de União da Vitória (UNIUV), foi realizado o lançamento do calendário 2018 da Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC). Na ocasião, projetos em parceria com a Uniuv foram apresentados e autoridades evidenciadas.

A Coordenadora Geral da Rede, Maria Inêz Crepaldi agradeceu o patrocínio da UNIMED, o apoio da Uniuv, e a colaboração da Loja Laço de Seda e Salão Pent Art para o desenvolvimento do calendário. “E principalmente essas mulheres guerreiras que posaram como modelo”.

A Presidente da RFCC Giorgia K. dos Passos Schwegler, em seu discurso, descreveu a noite com uma só palavra: emoção. “O calendário faz parte de um projeto entre a Rede e a Uniuv. É o Projeto abelha, que começou pequeno e já tomou maiores proporções” conta.

O departamento de Comunicação da Uniuv tem o cuidado de monitorar as redes sociais da Rede. Entre diversas atividades já realizadas, um questionário entre as voluntárias e toda a comunidade foi aplicado para descobrir quais eram os problemas de comunicação.

Como resultado, a maioria das pessoas achavam que a Rede só atendia mulheres. Esse diagnóstico estava errado. O atendimento acontece para homens e crianças também. A partir daí, com intuito de disseminar os trabalhos realizados pelas voluntárias, veio a ideia do calendário, “com uma proposta moderna e fashion”, contou Giorgia. E o calendário não deixa de ser uma forma de arrecadação, mas também fortalecer a marca da Rede e passar a superação das mulheres, o desejo de viver e a alegria.

O Vice-reitor da Uniuv, Lucio K. dos Passos, que fez as fotos do calendário agradeceu as modelos e brincou “me deram bastante trabalho”. Ele enalteceu os acadêmicos Jampierre Passos e Bianca Nakalski, que auxiliaram na produção das fotos, layout e diagramação.

Ele ainda falou sobre o Projeto Abelha, que a Uniuv sempre ajuda, participa e auxilia a Rede, abraçamos as causas nobres. “Acho que o combate ao câncer é uma das mais nobres”, finalizou Passos.

O presidente da Unimed iniciou seu discurso saudando todos os presentes e dizendo que o projeto possibilitou conhecer o trabalho sério que a Rede desempenha. “Queremos que seja uma parceria de longa data”, disse agradecendo o convite para participar do projeto.

As modelos foram apresentadas e ganharam um calendário pelas mãos de outras voluntárias. Agora, para quem desejar, os calendários já estão disponíveis para a venda na Rede Feminina e na Loja Laço de Seda. O valor é R$10.

Estiveram presente no evento a primeira dama de União da Vitória, Ana Cláudia Portes Roveda, vereadora Alandra Roveda, Diretor e Vice-diretor da Unimed, e representando o prefeito de Porto União, Naoeli Ranto, entre outras autoridades.

Reta Final: Alunos de Comunicação relembram trajetória na faculdade e se preparam para a formatura

O principal objetivo de todo acadêmico é alcançar o tão sonhado diploma da faculdade. São longos anos de espera, dias e noites de cansaço, em que o sono não vem por causa daquele trabalho que está complicado para fazer, ou mesmo aquela prova em que a nota não foi tão boa. Mas como todo esforço, vale a pena no fina. Os dias de universitários vão chegando ao final para os acadêmicos de Comunicação do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv).
A turma de Comunicação de 2014/2017, iniciou com mais de 50 acadêmicos. Os alunos de Publicidade e Propaganda dividiram a sala com os de Jornalismo durante dois anos. Durante esse período muita coisa aconteceu e de todos os mais de 50 acadêmicos que iniciaram o curso no primeiro semestre, hoje restam apenas 18. As dificuldades para chegar ao final do curso são inúmeras, por este motivo, muitos ficam pelo caminho, optam por desistir, ou apenas trancar para voltar depois.

O sonho dos acadêmicos se tornou realidade para alguns e a reta final está chegando. São menos de dois meses de aula e por isso os acadêmicos aguardam a aprovação no TCC e depois disso a formatura. Para conter a ansiedade eles relembram sua trajetória dentro da Uniuv, contando suas expectativas para a formatura e fazem um balanço do que aconteceu nos últimos quatro anos.

Para Letícia Bogdan, que está se formando em Publicidade e Propaganda, o curso superou suas expectativas e ela faz uma ótima avaliação sobre seu desempenho acadêmico, contando suas experiências na universidade.

De acordo com o acadêmico do último semestre de Jornalismo, Bruno Guilherme Fernandes, que iniciou a faculdade no curso de Publicidade e Propaganda e depois mudou para Jornalismo, o curso e os quatro anos da faculdade foram difíceis em alguns aspectos, porém a ansiedade para a formatura que está chegando compensa tudo o que vivenciou.

 

 

Vagner Rodrigues, que está cursando o último semestre de Publicidade e Propaganda diz, que o curso o proporcionou diversas oportunidades e que agora o que resta é apenas a aprovação no TCC, para fazer a comemoração.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Atlética de Comunicação Social realiza a Festa do Tinder

Quem é solteiro e nunca resolveu baixar o tinder querendo encontrar uma pessoa para conhecer melhor? Pensando nisso, a Atlética de Comunicação Social do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) quis fazer uma festa diferente das organizadas anteriormente pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

O Tinder é um aplicativo para smartphones que funciona como uma rede social para encontros, conhecer pessoas novas, ou seja, para quem está em busca de um relacionamento. Esse foi tema da festa, que foi realizada no dia 18 de novembro de 2017. A festa teve início as 16 horas e foi até a madrugada. O evento foi realizado no Brick Lounge Pub, em União da Vitória.

A festa foi temática, contendo adesivos de likes e superlikes, que funciona da seguinte forma: Se uma pessoa recebeu um like e retribuiu o like para a outra, significa que as duas estão com um interesse em comum, o de se conhecer melhor. Pensando em comemorar o término do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos alunos do último ano de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, foi realizada a despedida deles na universidade.

Em clima de bastante descontração, muita música e danças a acadêmica do segundo semestre de Jornalismo, Lucélia Leite, conta os detalhes desta festa que agitou as estruturas do Brick Lounge Pub.

 

Para o acadêmico do Segundo semestre de Jornalismo, Jonatas Mazur, a festa realizada pela Atlética de Comunicação Social foi muito divertida e que também ajudou para interação das pessoas do curso além da interação com a Atlética de Direito da Uniguaçu, que esteve presente.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Mas nem só acadêmicos da Uniuv participaram desta festa. Morador da cidade de Mafra SC, o estudante de Engenharia Civíl da Universidade do Contestado (Unc). Elivelton Mazur, prestigiou o evento e aprovou a festa realizada pela Atlética de Comunicação Social.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

XV Encontro Paranaense de Pesquisa em Jornalismo é realizado na UNIUV

Nos dias 17 e 18 de novembro, no Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), aconteceu o XV Encontro Paranaense de Pesquisa em Jornalismo. Na noite de abertura, teve um debate sobre os desafios que o jornalismo encontra nos dias atuais com as fake news (notícias falsas).
A palestra teve a presença do jornalista da agência Lupa, Chico Marés, que palestrou, e em seguida o debate com o representante da agência Lupa, Douglas Silveira e Samon Noyama, professor da Unespar.

Douglas explicou como funciona a agência e quais os critérios que utilizam. Disse que a Lupa é a primeira agência de notícias do Brasil a checar, de forma sistemática e contínua , o grau de veracidade das informações colocadas na imprensa brasileira. Sem nenhuma intenção de formar ou manipular a opinião, mas sim, aprimorar o debate público.

Já no segundo dia do evento foi a vez, da apresentação dos grupos de trabalho, com a presença de acadêmicos da cidade de Ponta Grossa, Paraná.
Segundo a acadêmica de Publicidade e Propaganda, Bianca Nakalski, foi a primeira vez que ela participou de um evento como esse na Uniuv. “ Acho importante a participação nesse tipo de evento, mesmo eu cursando publicidade”, conta. Para ela os cursos de Jornalismo e Publicidade andam junto em muitos aspectos. “Não dá para separar as duas coisas, pois um complementa o outro. Acho muito bacana nossa cidade ser sede de eventos grandes como este, porque isso mostra que estamos nos tornando um polo importante no estado”, enfatiza.

Fotos: UNIUV

Mostra Viva Uniuv é sucesso com laboratório de rádio

O Centro Universitário de União da Vitória (UNIUV), realizou na terça-feira, 14 de novembro, a mostra de cursos Viva UNIUV, para receber a comunidade e aos futuros acadêmicos mostrando toda a estrutura da instituição, também apresentando os cursos da UNIUV e os projetos de pesquisa e extensão.
Para a acadêmica do primeiro ano de Jornalismo, Eloisa Winter, que ficou como monitora no estúdio de rádio, avalia como muito importante essa ação da instituição para chamar novos acadêmicos.

Como foi apresentar a Mostra esse ano?

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O que achou da reação dos alunos?

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Qual   a importância da mostra?

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Semana de Comunicação concorre ao Prêmio Imprensa 2017

A “Semana de Comunicação”, evento anual na Uniuv, concorre ao Prêmio imprensa. A Uniuv está entre os quatro finalistas da região Sul. Siga o link do post e faça o seu voto!

 

Repórter: Regiane Stachera.

 

Em sua terceira edição, o Portal Imprensa homenageia  professores e projetos inspiradores dos cursos  de Comunicação. Entre as categorias do prêmio, está o melhor evento, e a Semana da Comunicação da Uniuv, está entre os quatro finalistas da região Sul. Cada região do país terá dois ganhadores.

Coordenador do evento desde 2015, o professor Edinei Wassoaski foi  responsável pela inscrição. “Assino a revista Imprensa e já tinha visto algo sobre o prêmio, mas só inscrevi mesmo quando veio um link na minha timeline do Facebook”, conta.

Segundo Wassoaski, houve 28 trabalhos inscritos de todo o país. Destes, foram definidos os finalistas por região. Na região Sul são quatro: o evento da Uniuv e outros três, da Furb, Positivo e UFPR. “Já me sinto muito feliz de ver a repercussão do evento entre os alunos na sala de aula. Imagina estar entre os finalistas de um prêmio dessa importância?”, entusiasmou-se Wassoaski.

Para quem espera por mais um evento, Wassoaski adiantou que vem novidades:Teremos o Madrugadão na última noite da Semana de Comunicação. Ademais, procuramos, como sempre, palestrantes de várias áreas da comunicação”. O Madrugadão é um evento no qual os alunos passam a noite produzindo sobre um tema para apresentá-lo no dia seguinte.

A votação é simples. Para votar, clique  aqui e selecione “Semana de Comunicação UNIUV”. Deixe o nome, e-mail e cargo. Depois, é só clicar no link de confirmação que será enviado para o seu email.

Objetificação da mulher e Femvertising é tema apresentado no Enaproc

Nos dias 30 e 31 de outubro acontece o Enaproc no Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv). O Encontro de Anual de Produção Científica tem como objetivos divulgar a produção científica da comunidade acadêmica, incentivar e estimular a prática da pesquisa científica e tecnológica e proporcionar a aplicabilidade dos conhecimentos formais nos meios produtivos.

Vários projetos são inscritos, inclusive os projetos que fazem parte do Programa de Incentivo à Pesquisa Científica (PIPA). Um dos trabalhos que serão apresentados no evento é o ‘A objetificação da mulher e o femvertising: um novo olhar sobre a representação feminina na propaganda brasileira’, da professora de Publicidade e Propaganda, Tatiane Baniski.

A acadêmica do oitavo semestre de Publicidade e Propaganda, Amanda Chechinatto, Paula Schreiner, do sexto semestre e, Mariana Baufleur do sexto semestre de Jornalismo serão as palestrantes do tema. O objetivo do trabalho delas é analisar campanhas publicitárias brasileiras por meio da observação e interpretação, detectando os pontos em que a campanha objetifica o corpo da mulher. Detectar também a forma machista que as campanhas repassam ao público.

Uma das campanhas analisadas pelo projeto é da Avon

A professora Tatiane conta que é de extrema importância trabalhar esse tema e apresentá-lo as pessoas. “Quanto maior o número de pessoas conscientizadas melhor e tanto o PIPA quanto o Enaproc são pontes que nos possibilitam trabalhar e divulgar isso”.

A acadêmica Amanda também aponta a importância de se trabalhar esse tema. “É um tema de extrema importância e super atual. As mulheres cada vez mais estão tomando os seus espaços na sociedade e no mercado de trabalho”, acrescenta. Amanda ainda coloca que a publicidade, que sempre impõem padrões para a sociedade, deve fazer um trabalho de conscientização nesse aspecto.

Já a acadêmica Paula comenta que é muito bom poder trabalhar esse tipo de discussão na faculdade. “É uma oportunidade pra analisar vários aspectos das campanhas e ver como a maioria está mudando, tomando consciência”.

Mariana também  conta que, como jornalista, entrar no mundo das campanhas é de extremo crescimento. “As duas disciplinas estão cada vez mais entrelaçadas uma a outra e é muito legal poder trabalhar observando o reposicionamento de várias marcas”. Ela diz também que pode observar muito mais coisas do lado jornalístico.

E se você quer inscrever sua pesquisa ou simplesmente ir assistir as apresentações do Enaproc, você pode entrar nesse link e se inscrever: http://eventos.uniuv.edu.br

Projeto de Jornalismo ‘Trilhando Histórias’ lança seu site

Todos têm uma história ou lembranças de momentos marcantes da vida. Geralmente esses momentos marcantes ficam guardados bem lá no íntimo de cada um. Mas e se você pudesse contar essas histórias guardadas? Contar momentos marcantes vividos, sendo eles tristes ou alegres, que de alguma forma ainda moram em sua mente.Pensando nisso o projeto Trilhando Histórias resolveu ir atrás dessas histórias e lembranças, dando voz as pessoas anônimas da comunidade de Porto União e União da Vitória.

O projeto trilhando histórias nasceu dentro do Programa de Incentivo a Pesquisa Acadêmica (PIPA) do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv). O principal objetivo desse programa é fomentar a pesquisa acadêmica dentro da instituição, fazendo que alunos e professores em conjunto desenvolvam projetos que tragam retorno para a comunidade local.

Foi assim que a professora e jornalista Ana Cristina Bostelmam, com o auxílio do acadêmico do sexto semestre de jornalismo Leandro Machado e a então acadêmica de jornalismo Loraine Lys Gugelmin, eles trouxeram um projeto que pretendia trazer um jornalismo experimental, com o foco em contar lembranças e histórias de anônimos da comunidade.

O tema escolhido por eles foi a ferrovia justamente por trazer muita saudade as pessoas que viveram na época, neste projeto eles contaram as histórias de pessoas e as relações que elas tinham com o trem, contando estilo de vida e as saudades da época.

O projeto então ganhou nome passou a se chamar Trilhando Histórias. “Pretendemos fazer um resgate sobre as histórias da ferrovia em nossa região, o nome caiu como uma luva, trilharemos cada história e as mostraremos para a comunidade”, relata Machado.

O projeto conta atualmente com uma página no Facebook para a divulgação e foi através dessa página que foram encontradas as três primeiras personagens, Leonice Forostechi, Nely Araújo Bostelmam e Olga Kalenik.

Esta última quem entrou em contato com o projeto foi sua filha, Nilda Kalenik. Segundo ela a sua intenção era tornar a história de sua mãe marcante e inesquecível, que ficasse como uma bela recordação para a família. “O trabalho realizado pelo projeto é maravilhoso, minha mãe chorou muito vendo os vídeos”, relatou Nilda emocionada. Por coincidência foi o mesmo objetivo de Leonice. Ela conta histórias de sua trajetória de vida e das saudades da sua infância, principalmente de sua mãe, que foi brutalmente assassinada e jogada na linha do trem. “Foi um modo de homenagear minha mãe, de não deixar se perder essa história que até hoje meche muito comigo”, conta ela.

    

Noely contou de suas saudades do tempo em que ela sua família usavam o trem para visitar seus parentes, falando um pouco dos aromas e sabores de sua infância, que ficaram marcados em sua memória.

O acadêmico Machado diz que, para ele, foi uma experiência ótima, foi um aprendizado muito grande poder pôr em prática as técnicas   aprendidas em sala de aula. “Para mim a parte de entrevistar foi a melhor, foi nessas entrevistas que vi que estava na profissão certa, não há prazer maior que poder contar histórias, fazer com que pessoas que geralmente não tem voz ganhem seu espaço dentro da sociedade”.

No dia 6 de outubro foi lançado o site Trilhando Histórias, onde foram disponibilizados os vídeos das três personagens cada uma com sua peculiaridade, ainda no site o leitor pode saber como o projeto foi idealizado desde o seu início. “Desde o começo a ideia era o lançamento do site onde pudéssemos compartilhar as histórias com a comunidade em geral”, esclarece Machado.

O projeto não para por ai não, Ana Cristina e Machado agora querem focar na descoberta de novas histórias, e acreditam que com a repercussão do site elas vão começar a surgir. Para aqueles que desejarem contar suas histórias e lembranças relacionadas com a ferrovia basta acessar a página do projeto Trilhando Histórias no Facebook.