Banda Polonesa sela união entre Uniuv e Kielce

Banda Polonesa sela união entre Uniuv e Kielce

 

Na noite de quarta- feira, 26 de agosto, o Cine Teatro Ópera ficou pequeno para os acadêmicos da Uniuv. O espaço, que ficou lotado, recebeu a banda Show Wolosatki, diretamente da Polônia.

Repórter: Gisele Ovitski – acadêmica do 6º semestre de Jornalismo

11892220_878720448860465_7708441239051289223_nHá algumas semanas, o Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) vinha preparando os seus alunos para a visita de alguns acadêmicos da Kielce University Of Technolog, da Polônia. A visita foi para finalizar mais uma das grandes novidades da instituição: firmar um convênio com a Universidade de Kielce, um intercâmbio entre as duas instituições.

O reitor e professor da Kielce, Stanislaw Adamczack, juntamente com o chefe de relações internacionais, Ryszard Maj, já haviam feito uma visita às instalações da Uniuv no dia 20 de agosto, porém, desta vez a visita era para selar a união. E, nada mais justo, que marcar com uma grande noite, um espetáculo, que ficou a mando da Banda Show Wolosatki, formado por acadêmicos da Kielce.

Essa foi uma forma de deixar os alunos mais a vontade e com mais conhecimento sobre a cultura polonesa, que é também muito forte em nossa região. Foram realizadas na sala de eventos da Uniuv, várias palestras sobre a cultura, educação e geografia dos Poloneses. As palestras, ministradas pela Professora Ludmila Pawlowski, deixaram os participantes ainda mais ansiosos pela quarta- feira, 26.

Cine Ópera recebe banda Wolosatki

11885105_878722105526966_8263698505436258672_nExatamente às 19h, o Cine Teatro Ópera já estava lotado de acadêmicos, pais e demais moradores das cidades gêmeas. Os alunos foram chegando e escolhendo os melhores lugares para se acomodar. Alguns aproveitavam para comprar pipoca e dar aquela olhada básica nas redes sociais. Nem a chuva e nem o frio desanimaram as pessoas. Todos queriam prestigiar a banda Wolosatki, formada por 12 alunos da Kielce, acadêmicos de 15 a 20 anos, cursando diversos cursos, entre eles, Jornalismo.

Após algum tempo, o reitor Alysson Frantz deu a largada ao evento.  Frantz apresentou os representantes da Kielce, os agradeceu pela visita e os passou a palavra. Acompanhado de um tradutor, o reitor Adamczack, que somente conhece a língua polonesa e inglesa, agradeceu pela recepção, pelo carinho e comentou que a viagem era um ato muito especial para eles. A banda, que realiza vários shows pela Polônia, estava ampliando seus conhecimentos, estavam cruzando as fronteiras brasileiras, tão jovens, porém, tão conhecedores. Ainda em palavra, o reitor comentou sobre a parceria entre as universidades e entregou um quadro ao reitor Frantz.

Para finalizar, o chefe de relações internacionais apresentou, através de um vídeo, as instalações da Kielse, uma Universidade pública, com cerca de 10 mil alunos e com diversos cursos na área tecnológica. A plateia, por sua vez, estava admirada. Os murmurinhos de “Como faz para ir até esse lugar?”, estava tomando conta do espaço todo iluminado com algumas luzes coloridas, puxando o destaque, claro, para o palco.

Acadêmicos se divertem ao som de Poloneses

Ainda durante a passagem do vídeo de apresentação da Kielce, os alunos já se empolgaram com a entrada de alguns músicos da Wolosatki. Quatro rapazes responsáveis pela melodia, entraram, ajeitaram seus instrumentos e esperaram, junto com a plateia, a voz de entrada dos cantores. A iluminação abaixou, os efeitos coloridos se destacaram, nas poltronas, os alunos estavam com os sorrisos largos e com olhos centrados no palco.

Em alguns minutos, os alunos cantores entraram no palco. Todos estavam de calça jeans, jaquetas escuras e por baixo, camisetas personalizadas com a escrita Wolosatki.
No palco, estavam dois rapazes, um em cada ponta. No meio, cinco meninas. Todos loiros, olhos claros e com um sorriso encantador nos lábios. Monika Wozniak, uma das cantoras e acadêmica de Jornalismo, foi quem pronunciou as primeiras palavras de apresentação. Com uma alegria mais que notável, levantou os aplausos ao pronunciar palavras em português. “Olá Brasil, olá União da Vitória”.

11909589_1019216191452300_363695630_nForam praticamente três horas de apresentação que se passaram voando. Em todas as músicas, os aplausos vinham de brinde. Em algumas, o povo cantava junto, ou melhor, tentavam. Os alunos de Comunicação Social eram os mais animados. Cantavam, aplaudiam, gritavam e até mandavam corações aos cantores. Em certo momento, a banda chamou ao palco uma pessoa da plateia. O escolhido foi o acadêmico de Arquitetura e Urbanismo, Marco Aurélio de Lara . O critério da escolha foi dado pela letra da música, que citava sobre um jovem que usava óculos, acessório este, que para Aurélio é indispensável. No palco, o acadêmico estava tímido, mas não deixou de acompanhar com os aplausos. Os cantores, o deixaram no meio, realmente para demonstrar que o destaque daquele momento era todo do convidado.

Exatamente quando os cantores anunciaram que cantariam as últimas músicas e que elas seriam uma surpresa. Todos da plateia se olharam com muita curiosidade. Três músicas brasileiras foram entoadas, entre elas “Mocinhas da Cidade e Tristeza”. Ao explicarem que cantariam a última música da noite, os acadêmicos de Comunicação Social começaram a aplaudir de pé. Aos poucos, todo o Cine Ópera estava de pé, dançando ao ritmo da música e enchendo de alegria os cantores.

Aplausos, selfies e entrevistas foram o que não faltaram ao final da apresentação. Todos ainda estavam empolgados e querendo pelo menos uma foto com as estrelas da noite. Para os cantores, o reconhecimento, para os acadêmicos, um presente, presentes poloneses.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *