Ciclo de debates apresenta mesa redonda com tema sobre os direitos humanos e a democracia

Idealizado no ano de 2017 pela turma do terceiro ano do curso de Jornalismo, mesa redonda ganhou corpo e se consolidou apresentando temáticas que envolvem a comunidade

 

Integrantes da mesa redonda. Foto: Reprodução Uniuv

 

 

Na noite de segunda-feira, 18, a sala de eventos do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) sediou a mesa redonda com o tema “Direitos Humanos e Democracia”. O encontro faz parte do projeto de extensão Ciclo de debates de múltiplas perspectivas, coordenado pela professora do curso de jornalismo, Ângela Maria Farah.

 

 

Mediado por Ângela, o debate contou com a presença do juiz da Vara da Família, Carlos Mattioli, da historiadora Dulceli Estacheski, do professor de Filosofia Samon Naiama e da assistente social Marcia Caus. Com enfoque no curso de Comunicação Social da instituição, o evento contou com a presença de alunos dos cursos de Administração, Secretariado Executivo e também de alunos de cursos da Universidade Estadual do Paraná (Unespar). Para Ângela, a presença de tantas pessoas foi uma surpresa pelo pouco tempo de divulgação. “É uma surpresa, porque tivemos apenas uma semana de divulgação, eu imagino que se tivéssemos mais tempo, talvez não teríamos espaço na sala”.

 

 

O projeto de extensão, possui dois acadêmicos do curso de Jornalismo como bolsistas, Mariana Bonfleur e Leandro José Machado. O acadêmico lembra que a intenção era de que esse evento tivesse ocorrido no primeiro semestre, mas pela agenda da instituição e dos convidados eles tiveram que se reorganizar. “A ideia surgiu a partir do assassinato da vereadora carioca Mariele Franco, mas aí a instituição acabou tendo alguns eventos e a gente não conseguia fechar também as agendas dos convidados”.

Ângela Farah, Marina Bonfleur e Leandro José Machado, coordenadora e bolsistas do projeto. Foto: Reprodução Uniuv

 

A importância do evento

 

Uma das participantes do evento, a acadêmica de jornalismo Maria Eduarda Benvenutti, lembra que no atual momento que a sociedade vive, um debate como esse incrementa e muito a construção da formação. “Eu acho muito importante como acadêmica, porque os direitos humanos ultimamente está sendo muito demonizados, pela falta de conhecimento do que ele frisa e para quem”. A acadêmica lembra ainda que muitas pessoas não entendem que os direitos humanos foram criados para a todos, pois segundo o que consta no documento a toda a população é igual sem distinção de cor, etnia e língua.

 

 

Criado após o final da Segunda Guerra Mundial em 1945, a declaração serviu como base para as leis que regem os países, no Brasil é o caso da Constituição Federal de 1988.

 

 

Angela lembra que o debate foi idealizado para que abrangesse todas as perspectivas, por isso a participação de um juiz, uma historiadora, um filosofo e uma assistente social, que a professora fez questão de que estivesse presente, para que fosse possível ouvir o lado desses profissionais. “A presença de todos foi muito importante, mas a da Marcia Caus, representando a assistência social, foi ímpar. Temos um mundo onde as pessoas ainda vivem com a idealização de que esse profissional não tem uma boa serventia na sociedade”.

 

O debate

 

 

A mesa redonda que ocorreu na noite de segunda-feira, foi a segunda do projeto. No início do semestre ocorreu a primeira edição deste ano e abordou o tema “Fake News em Foco”.  Esse tema acabou saindo dos portões da instituição e indo até as escolas da rede estadual da região. A professora lembra que no atual momento que estamos vivendo, um período de pré-eleição, debates com temas como os que já ocorreram são de estrema importância, para a construção da sociedade, e a participação das escolas nessa construção faz com que os jovens tenham um novo conhecimento.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *