Gramophone: programa de Rádio da Uniuv contou com a participação de convidados especiais

Repórter: Regiane Antonina Stachera

 

Durante o segundo bimestre, os alunos do terceiro e quinto semestre do curso de Jornalismo realizaram entrevistas no estúdio de rádio da Uniuv. E, a cada semana, recebiam um convidado diferente. Amauri Yamauti, professor da disciplina, propôs para que os alunos do terceiro semestre convidassem os seus entrevistados.  Os alunos, que estão no quinto semestre, tiveram outro desafio: elaborar pautas com temas como religião, esporte e política. Somente no dia da entrevista eles souberam quem eram os entrevistados.

Para realizar esse trabalho foi necessário fazer pesquisas e produção de pautas relevantes, além da participação de pessoas notórias da comunidade. “Um bom profissional no rádio precisa ler muitos jornais locais e nacionais, acompanhar a mídia radiofônica local, nacional e internacional, observando as técnicas e ficar atualizado por meio de artigos acadêmicos”, diz Yamauti.

O programa “Gramophone” foi idealizado pelo professor Lucio Kürten dos Passos. Ao vivo e com uma hora de duração, os alunos aprendem na prática como seria um programa jornalístico de rádio com entrevistas, músicas, intervalo comercial e notícias. “O programa é importante, pois é uma forma de simular uma entrevista real com personalidades da região e colocar em prática as técnicas de entrevista, direção de programas, técnicas de apresentação e programação de emissoras”, explica Yamauti.

Entre os convidados, o padre Ederson Iarochevski participou do programa, entrevistado por Douglas Amaral, Cristiano Michahouski e Regiane Stachera. O padre falou sobre temas que envolvem a religião católica e outras religiões, bem como sobre a participação dos homossexuais na igreja e sacramentos como o batismo e o casamento. A  caridade e a importância da religião também foram temas abordados. Em uma conversa descontraída, o padre esclareceu muitos tabus. Ele disse que a igreja é a casa de Cristo e deve acolher todos. “Quem sou eu para julgar? Todas as vezes que a igreja não acolhe, ela está traindo Jesus Cristo. Se chegar alguém que tenha uma definição de sexualidade diferente para falar comigo, não vai interessar pra mim. O que interessa é saber que aquela pessoa está ali, está interessada em fazer uma vivência de espiritualidade e quer fazer parte de uma comunidade. Acho que esse preconceito está mais dentro da linha de algumas pessoas que estão dentro da igreja do que da própria instituição. A igreja tem as portas abertas e entra quem quer”, explica Iarochevski.

Para Michahouski, fazer entrevistas no programa Gramophone foi uma experiência muito produtiva. “Foi muito interessante porque era um tema polêmico, porque era sobre a religião. Era algo que eu sempre quis fazer no jornalismo e eu nunca tinha feito. O que chamou atenção foi que o padre levou isso numa boa. Ele é uma pessoa com a mente bem aberta.”

O professor e secretário de planejamento de Porto União, Cordovan de Melo Neto, foi entrevistado por Paula Partyka e Raffael Suda. Técnico de basquete no Colégio São José, ele explicou sobre a história do esporte e sobre suas regras. Neto também contou sobre os títulos conquistados. Eles foram campeões brasileiros nos jogos realizados em Fortaleza, em 2015.

Os alunos Mariane Baufleur e Leandro Machado entrevistaram o professor Emerson, do curso da Filosofia da Unespar. Ele falou sobre crise e sobre a corrupção. “Tivemos uma experiência muito boa, pois conseguimos aplicar os nossos conhecimentos na disciplina e aprender com a visão do convidado sobre o tema”, afirma Mariana.

 

Os alunos do terceiro semestre do curso de Jornalismo, Leonardo Talaminni e Júnior Wenningkamp também adoraram a experiência. “As aulas de rádio são muito boas e a prática é excelente. É um programa com intervalo, música de fundo, algo bem dinâmico”, conta Talaminni. Eles entrevistaram a fotógrafa Viih Sonnestrahl, que falou sobre como é ser uma empreendedora, explicando como as redes sociais tornaram-se aliadas à profissão, na divulgação do seu trabalho.

 

 

 

Cleverson Daniel e Lucas Polak entrevistaram o padre Marcelo. “Muitas pessoas estão perdendo a fé. Está crescendo o número de ateus no mundo, principalmente em países desenvolvidos. O padre falou que isso acontece principalmente nos países desenvolvidos, porque as pessoas só têm necessidades materiais e, sem dificuldades, não buscam Deus”, conta Daniel.

Um projeto está em andamento para o estúdio de rádio na Uniuv. “Estamos estudando um projeto para fazer uma Web Rádio, como trabalho de pesquisa e extensão. O projeto está nas mãos do vice-reitor, apenas aguardando aprovação”, conta Yamauti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *