Jornalistas da Gazeta do Povo recebem apoio de acadêmicos de Jornalismo e Publicidade da Uniuv

Alunos e professores dos cursos reuniram-se no centro de União da Vitória e também na Uniuv, manifestando-se a favor dos jornalistas da Gazeta do Povo

Repórter: Bruno Guilherme Fernandes

Os acadêmicos do curso de Jornalismo e Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) uniram-se para prestar apoio aos jornalistas da Gazeta do Povo, que estão sendo processados por juízes e promotores do estado do Paraná.

Entenda o que aconteceu

Cinco jornalistas da Gazeta do Povo coletaram materiais para escrever uma matéria onde foi exposto os salários de alguns magistrados do Paraná. Por magistrados serem funcionários públicos, informações sobre o valor de seus salários, estão disponíveis no site do Portal da Transparência (http://www.portaldatransparencia.pr.gov.br/) para qualquer pessoa ter acesso.

Com isso, os magistrados, descontentes com as informações contidas na matéria, entraram com mais de 40 processos em mais de 15 cidades do Estado contra os jornalistas. Algumas audiências são marcadas no mesmo dia e horário, porém em diferentes cidades, o que impossibilita o comparecimento em algumas sessões, além de afastá-los de suas rotinas profissionais e no convívio familiar.

Os jornalistas defendem-se alegando que o que foi apontado na matéria, foi retirado de um site do próprio governo, que legalmente, disponibiliza o acesso às informações sobre gastos públicos e salários. Segundo a publicitária e estudante de Jornalismo, Luana Luczka, os cinco jornalistas apenas facilitaram o acesso a essas informações, por meio da reportagem. “Aqueles números não foram inventados e nem alterados, apenas retirados de um site oficial do governo e mostrado em uma matéria de jornal.”

 

Apoio dos acadêmicos

Na segunda-feira, 27 de junho, alunos e professores dos cursos reuniram-se na praça Coronel Amazonas, em frente a catedral Sagrado Coração de Jesus, em União da Vitória, para demonstrar apoio aos profissionais que estão enfrentando processos na justiça paranaense.

Além dos alunos e professores, pessoas que passavam pelo local foram informadas sobre o que estava acontecendo e resolveram unirem-se ao grupo para mostrar que o apoio não vem apenas de quem é da classe, e sim de qualquer pessoa, independente a profissão, mas que percebe que os jornalistas não cometeram crime algum.

Para dar continuidade à manifestação de apoio, na terça-feira, 28, os acadêmicos foram à faculdade com roupas pretas e durante o intervalo de aulas, informaram aos demais alunos sobre o que está acontecendo. O grupo de estudantes concentrou-se no pátio da Uniuv onde, acompanhado de professores, puderam expor suas insatisfações com o que está acontecendo. A estudante de Jornalismo, Luana, defende o manifesto dizendo que estão fazendo isso não só pelos jornalistas processados, mas sim pelo futuro da profissão. “Estamos fazendo esse apoio aos jornalistas da Gazeta, mas também pensando em nosso futuro como profissionais. Nós queremos ter liberdade de imprensa e expressão para podermos trabalhar sem perigo de sermos processados por falar a verdade.”

Conscientizar é a ideia do manifesto

Uma das organizadoras do manifesto em apoio é Luana. Segundo ela, o que os acadêmicos estão fazendo serve para conscientizar a população sobre o que está acontecendo. “A informação verdadeira, é mais importante para a sociedade do que para a classe dos jornalistas. A função do jornalismo é levar a informação as pessoas”, aponta. Luana comenta sobre o objetivo de estar à frente da manifestação. “O nosso objetivo é lutar pelo direito de poder expressar a verdade, sem que os jornalistas sejam perseguidos e processados por falarem a verdade. O jornalismo bom e de qualidade é feito de verdades e é isso que estão querendo tirar dos profissionais”, finaliza.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *