O desafio do Jornalismo Multimídia foi o tema da Palestra da jornalista Genara Rigotti

“É preciso pensar em como fazer um jornalismo diferente, que seja multiplataforma, ou seja, produzir notícias tanto para o impresso quanto para o digital”.

Repórter: Luciana Ignaszevski– acadêmica do 5º semestre de Jornalismo

 

Na quinta feira, 28, os acadêmicos de Comunicação Social do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) puderam apreciar a palestra da jornalista Genara Rigotti, que é editora chefe do Caderno Dona, do Jornal Diário Catarinense de Florianópolis e trabalha também no Grupo RBS (afiliada Rede Globo). O seu bate-papo tinha como tema “O desafio do Jornalismo Multiplataforma”.

Segundo Genara, é preciso pensar em como fazer um jornalismo diferente, que seja multiplataforma, ou seja, produzir notícias tanto para o impresso quanto para o digital. O profissional precisa compreender os dois meios, produzir tanto para um quanto para outro, sem esquecer das regras básicas. “A checagem dos fatos é uma das regras que é muito importante, precisamos fazer isso para não perder credibilidade com o leitor”. Genara comentou também sobre a crise nos jornais impressos. “Hoje temos diversos problemas com o jornal impresso, em questão de logística, distribuição, publicidade, por isso o online está se destacando. Ele precisa ser fechado com rapidez, para ser impresso e depois ser mandado para as cidades vizinhas. Muitas vezes algumas matérias não estão completas e esse jornal chega desatualizado para o leitor”.

Outro problema do jornal impresso apontado por ela é a questão de espaço. Algumas matérias são cortadas para colocar no jornal, já o digital, a matéria pode ser colocada por completa, e também pode-se usar as ferramentas como fotos, vídeos, áudios para deixar mais interessante. Genara também citou alguns projetos multimídia feitos no jornal Diário Catarinense, como o Outubro Rosa, Escola de Teatro Bolshoi, Bahia de Babitonga, BR-280 – 7 anos de promessa, entre outras.

 

Jornalismo e Redes Sociais

Atualmente, a informação está circulando rapidamente pelas redes sociais, e muitas delas não são verídicas. Segundo Genara, muitos dizem que o veículo vai acabar por conta das redes sociais. Porém, ela afirma que é o contrário: ele vai continuar vivo. Genara explica que quando o leitor quiser se informar ele vai procurar um meio de confiança. “Por isso é muito importante ter um conteúdo com qualidade, veracidade”, comenta. As redes sociais podem ser usadas como ferramentas, diversos jornais usam o Instagram, Twitter, Facebook para compartilhar as notícias. Genara citou o exemplo da cobertura do “Acidente na Serra”, onde a repórter postava no Twitter instantaneamente tudo que estava acontecendo. Outro benefício da internet, segundo ela, é saber tudo sobre o leitor, como qual matéria foi mais lida, onde esse leitor mora, quantos minutos ficou no site, isso tudo é analisado pelo Google Analytics. Já no jornal impresso, é preciso fazer uma pesquisa diária com o leitor.

Genara aproveitou para falar sobre o mercado de trabalho. “Hoje o jornalismo precisa de pessoas empreendedoras, que pensem em inovar. Quanto mais vocês exercitarem isso, mais chances vão ter de alcançar um lugar bacana no mercado, pensando como é que dá pra fazer diferente com a mesma qualidade, isso é uma coisa que as gerações novas podem trazer para o mercado, e quanto mais tiver isso, mais empregabilidade vai ter”, explica.Ela ainda conta que, hoje em dia, a tecnologia auxilia muito na informação, as notícias saem em meios digitais muito mais antes do que em meios impressos.

O resultado da palestra foi excelente, pois a palestrante conseguiu falar claramente sobre os novos caminhos do Jornalismo.“Para quem tinha um pouco de dúvidas sobre o jornalismo multimídia, acho que conseguiu compreender mais sobre o que é e como funciona a partir da palestra da Genara”, comenta o acadêmico de Jornalismo, Bruno Guilherme Fernandes.

 

Sobre Genara

Genara é jornalista no Jornal Diário Catarinense de Florianópolis, trabalhou em diferentes editorias no jornal A Notícia (AN), de Joinville. Possui experiência na edição do jornal e gestão de equipes, se destaca em coberturas voltadas aos direitos da criança e do adolescente. Trabalhou como editora da revista Domingo do “AN”, foi colunista de moda, editora do caderno de cultura, e atualmente coordena a pauta, produção e planejamento do “AN” com foco no digital e impresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *