Viagem para São Paulo aumenta repertório dos acadêmicos

Repórter: Mayara  Luana Mugnol – acadêmica do 6º semestre de Jornalismo Uniuv

Quebrar a rotina, sair do comodismo da sala de aula, ir além da teoria e aumentar o repertório acadêmico é uma experiência que só a universidade pode oferecer. Enquanto universitários, os alunos devem aproveitar as oportunidades e aumentar o leque de conhecimento, aderindo as  boas ideias e iniciativas.  Entre os dias 16 e 17 de agosto, os acadêmicos do curso de Comunicação Social da Uniuv, acompanhados pelos professores Ana Cristina Bostelmam, Fernando Gohl, Edinei Wassoaski e Julliana Biscaia,  realizaram uma viagem técnica a metrópole Paulistana.

Estudar em uma cidade pequena muitas vezes é sinônimo de estar distante dos grandes centros. Para a acadêmica do quarto semestre de Publicidade e Propaganda, Marina Costa, o fato de morar em uma cidade menor e no interior do estado  dificulta o conhecimento e interação com as  novidades do  atual mercado de trabalho. “A iniciativa dos professores é muito bacana, proporciona  que os acadêmicos saiam do mundo em que vivem dentro da sala de aula para conhecer, na prática, como é o mercado de trabalho fora. Pois será o nossa futura profissão”.

Durante quatro meses, a professora e coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda, Julliana Biscaia, organizou a viagem que possibilitou aos acadêmicos conhecer o Instituto Brasileiro de Opinião e Estatística (IBOPE),o programa da Rede Globo Altas Horas, a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), e  o Festival  Internacional de Animação (Anima Mundi).

Seguindo a programação, professores e acadêmicos prestigiaram duas pequenas palestras. A primeira foi na quinta-feira dia 16, ao IBOPE. Na oportunidade, puderam conhecer como é feita a medição de audiência, para que serve, quais  os veículos de comunicação  beneficiados com a pesquisa e, principalmente, desmistificar o mito de que a audiência  é manipulada. Para Luciane Ignaszevski, acadêmica do segundo semestre de Jornalismo, a visita ao IBOPE  trouxe muito conhecimento  e pode esclarecer muitas dúvidas pertinentes. “Pensava que minha audiência faria a diferença. Muitas vezes  aderi aos eventos realizados no Facebook “não assista globo”. Mas agora aprendi:só faz a  diferença quem  possui em casa o aparelho medidor de audiência”.

A segunda palestra foi na manhã da sexta-feira, 17, ministrada pela professora Elisabete Saraiva,Coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios da Comunicação da ESPM.Por mais curta que tenha sido,  muitas informações foram repassadas, entre elas as novas tendências e exigências para o mercado de trabalho. Para Marina, a palestra abrangeu  um vasto conteúdo  e uma observação de grande valor: o método de  ensino  utilizado em conceituadas universidades é o mesmo que  estamos aprendendo em sala de aula. “Estamos em uma faculdade pequena, no interior do Paraná, e estamos aprendendo a mesma coisa que universidades em grandes centros. Isso significa que temos professores qualificados, tão bons quanto os de grandes universidades’’, afirma Marina.

Busca pelo conhecimento foi o objetivo da viagem

Aumentar o repertório nunca é demais. A busca pelo conhecimento  dá a oportunidade de  entender  melhor os fatos do dia a dia.  Aline Graef acadêmica do último semestre de Publicidade e Propaganda, participou da viagem a São Paulo no primeiro ano do curso. Quando ela soube desta viagem decidiu ir novamente, por ser a última com a faculdade. No entanto, seu interesse aumentou ainda mais depois que a programação ficou definida. Na ocasião anterior, ela conheceu apenas o programa Altas Horas e agora teve a oportunidade de conhecer outros veículos como o IBOPE e ESPM. Para Aline, a  parte técnica é a mais legal, acrescenta muito ao conhecimento e repertório pessoal, e, é na faculdade o momento em que se tem contato com esses veículos. “Se não fosse por meio da faculdade, a gente não teria contato com o IBOPE, que é um órgão que vamos trabalhar na vida profissional, mas é interessante conhecer antes também”, esclarece.

A viagem proporcionou mais do que conhecimento técnico ou pessoal, foi o momento de interagir com outros colegas. A acadêmica de Jornalismo Luciane está no curso há seis meses e diz que ainda não estava se sentindo enturmada com os alunos dos outros anos do curso. “Tudo é novo. Desde os conteúdos das matérias até os professores em sala de aula. A viagem reforçou essa aproximação entre os acadêmicos dos outros anos e oportunizou conhecer os professores que ainda não me dão aula”.