Enaproc 2013: Inicia o X Encontro de Produção Científica da Uniuv

Repórter: Mayara Luana Mugnol –  acadêmica do 6º semestre de Jornalismo Uniuv

A abertura do X Encontro Anual de Produção Científica (Enaproc) do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) aconteceu no dia 5 de novembro no Cine Teatro Luz.

O evento tem como objetivo divulgar a produção científica dos acadêmicos e professores, incentivar e estimular a prática da pesquisa, proporcionar a aplicação do conhecimento teórico na prática e gerar novos conhecimentos aperfeiçoando-os aos recursos humanos.

Durante a manhã foi realizada uma mesa redonda – para os  cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Odontologia e alunos do segundo e terceiro ano do Coltec – sobre ética na pesquisa científica. Mediada pela pró-reitora de ensino Maria Genoveva Bordignon Esteves, o debate contou com a participação de três convidados:

enaproc 1
Mesa redonda sobre ética na pesquisa

Samom Noyama, coordenador e professor do curso de Filosofia da Faculdade Estadual de Filosofia Ciências e Letras de União da Vitória-PR (Fafiuv), Karim Siebeneicher Brito, coordenadora e professora de letras da Faviuv, e a professora e a advogada  Mirian Karla Kmita, da Uniuv.

Noyama falou brevemente sobre o surgimento das questões éticas e das principais teorias e fundamentos sobre a ética elaboradas por filósofos. Para o professor, sua abordagem foi, em geral, problematizando a importância da discussão sobre a ética, mas alertando que não há uma forma única e definitiva de resolver este problema. A professora Karim explicou como fazer uma pesquisa com ética, e mencionou rapidamente as diretrizes da CNPq. A advogada Mirian falou sobre as diversas formas de plágio, e explicou aos acadêmicos se é ou não crime cometê-lo e de que maneira evitá-lo.

Ao final das apresentações os alunos participantes puderam tirar suas dúvidas em um bate papo descontraído com os palestrantes. Para a professora de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, Angela Maria Farah, muitas pessoas não tem noção exata do que é o plágio, como se configura e como não cometê-lo. “O debate foi importante para alertar os alunos e mostrar que é possível fazer uma pesquisa sem copiar nada de ninguém”, explica a professora.

A abertura oficial do evento aconteceu durante a noite, com a apresentação da peça “Eu te amo” do Grupo teatral Um bando de Efêmeros, de União da Vitória. Após a apresentação da peça, o evento teve continuidade e os acadêmicos e professores assistiram a uma palestra sobre a importância da ciência com o Biólogo, professor e doutor Roberto Ferreira Ariton.

enaproc 8
Palestra sobre a importância da pesquisa científica

 

 Para Ariton, todo aluno que passa pela iniciação científica é diferenciados dos demais que não passaram por esse processo.

Acompanhe.

 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O evento tem continuidade nesta quarta, 6, na Uniuv, onde os acadêmicos apresentarão suas pesquisas e seus trabalhos de Conclusão de Curso(TCC) e também os professores que estarão apresentando suas pesquisas de Mestrado e Doutorado.

O Enaproc é obrigatório para todos os acadêmicos que estão em fase de término do TCC, e, é este o trabalho que eles apresentarão no evento. As apresentações dos trabalhos acontecem de duas formas, painel ou comunicação oral. Na última modalidade o acadêmico dispõe de no máximo 20 minutos para apresentação. Após isso, há espaço para o público debater e realizar perguntas sobre os trabalhos.

Os universitários que ainda não estão no último ano também podem participar inscrevendo trabalhos e pesquisas científicas.  Acrescentando o desenvolvimento e o currículo acadêmico do aluno.

 

 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

ENADE 2012: Cursos de Comunicação Social estão entre os 5 melhores do Paraná

208984_1926553050601_7771455_n
“Repetir o mesmo conceito por três anos consecutivos é difícil. precisamos, agora, evoluir para chegar ao conceito máximo”
482338_4486136323271_438948179_n
Para Fábio, o Enade, além de avaliar o curso, serve como autoavaliação para os acadêmicos.

Repórter: Mayara Luana Mugnol –  acadêmica do 6º semestre de Jornalismo Uniuv

Os cursos de Comunicação Social do Centro Universitário de União de Vitória (Uniuv) ganham destaque no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2012. Pelo terceiro Enade consecutivo, o Curso de Jornalismo manteve o índice 4. O curso de Publicidade e Propaganda  saltou da nota 3 e atingiu o conceito máximo (5), numa escala  em que as notas variam de 1 até 5. O Ministério da Educação avaliou cursos na área de Ciências Humanas de Universidades, Faculdades e Centros Universitários de todo o País.

O resultado foi divulgado segunda-feira 7, de outubro pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Texeira (Inep),e repassado aos alunos pelo  professor Jairo Vicente Clivatti  no mesmo dia, durante a abertura da Semana da Comunicação.

É importante ressaltar que as notas obtidas pelos cursos refletem a qualidade de ensino na instituição. Com o conceito 5 o curso de Publicidade e Propaganda  está classificado como o melhor curso do Paraná e o 17º do Brasil.  Já o curso de Jornalismo que manteve  pela terceira vez o índice 4, está como o melhor curso do Estado e entre as cinquenta melhores instituições do Brasil.

O Enade atesta a qualidade do ensino ofertado na instituição, que sempre forma profissionais de reconhecida qualidade para o mercado de trabalho. Para o professor e atual Coordenador do curso de Jornalismo, Lúcio Kürten dos Passos, o resultado representa que o curso está consolidado. “Repetir o mesmo conceito por três anos consecutivos é difícil. Precisamos, agora, evoluir para chegar ao conceito máximo”, explica o coordenador.

A avaliação dos cursos é feita a cada quatro anos e considera o rendimento dos alunos, infraestrutura e corpo docente. O desempenho dos estudantes conta 55% do total, enquanto a infraestrutura  representa 15% da nota e o corpo docente, 30%. Na nota dos docentes, a quantidade de mestres pesa 15% do total, já dedicação integral e doutores representam 7,5% da nota. Quanto mais próximo da nota 5, melhor o conceito de avaliação e maior valor agregado ao curso.

Fábio Rodrigues, egresso do curso de Jornalismo, foi um entre os alunos que fizeram a avaliação. Ele diz estar muito satisfeito com o resultado. Rodrigues acredita que o Enade, além de avaliar o curso, serve como autoavaliação para os acadêmicos. “Quando fiz a prova no primeiro ano, percebi que eu não sabia quase nada de Jornalismo. Já na prova no quarto ano, notei que cresci muito no curso, vi que realmente valeu a pena, porque  muita coisa eu tinha estudado e sabia.”

Além do crescimento como acadêmico Rodrigues ressalta que é um orgulho  ter estudado em uma das melhores instituições do Paraná. “Para mim essa nota do Enade é um orgulho. Dá pra encher a boca ao dizer que estudei na Uniuv e que o meu curso está entre os melhores do estado.”

 

Sobre o ENADE

O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) é uma avaliação realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP,vinculada ao Ministério da Educação, para avaliar a qualidade do Ensino Superior no Brasil.

As notas finais ajudam a compor o Índice Geral de Cursos (IGC), indicador de qualidade de instituições de educação superior, que considera em sua composição a qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação (mestrado e doutorado) das instituições.

Anualmente são avaliados cursos de diferentes áreas do conhecimento. A edição de 2012 do Enade teve a participação de 7.228 cursos de 1.646 instituições de ensino superior em 17 áreas: administração, ciências contábeis, ciências econômicas, design, direito, jornalismo, psicologia, publicidade e propaganda, relações internacionais, secretariado executivo, tecnologia em gestão comercial, tecnologia em gestão financeira, tecnologia em gestão de recursos humanos, tecnologia em logística, tecnologia em marketing, tecnologia em processos gerenciais, turismo.

Mais informação acesse o site do Inepe

 

 

 

 

 

Semana da Comunicação: Workshop de jornalismo tem resultados positivos

Repórter: Mayara Luana Mugnol –  acadêmica do 6º semestre de Jornalismo Uniuv

 

Semana da cmuncacao 02

Novidades, interação, conhecimento e inovação. Foi assim que a segunda edição da Semana da Comunicação começou. Diferente do ano anterior, essa edição conta com um caráter mais dinâmico já nos dois primeiros dias do evento.

Os workshops realizados nos dias 7 e 8 substituíram o Madrugadão Criativo (uma noite inteira de atividades desenvolvendo projetos envolvendo a comunicação).

As duas agências convidadas para ministrar os workshops trabalharam com comunicação estratégica. A Glóbulo faz o diagnóstico e posicionamento de marcas que já estão no mercado, e a Dialetto trabalha com assessoria de comunicação segmentada em tecnologia. Ambas são de Florianópolis, Santa Catarina.

Na segunda-feira, 7, os trabalhos começaram com palestras. O publicitário Alex Lima, da empresa Glóbulo, e Rodrigo Lóssio, diretor e jornalista da agência Dialetto falaram sobre os produtos que ambas vendem aos seus clientes. A troca de conhecimento proporcionou aos acadêmicos uma base para desenvolver os trabalhos na prática.
Na terça-feira, 8, os workshops foram realizados. Os acadêmicos de Publicidade e Propaganda fizeram o workshop com L ima e Manuella Paula, da Glóbulo, e os acadêmicos de Jornalismo com  Lóssio – Dialetto

O workshop de jornalismo foi dividido em duas partes. Na primeira, Lóssio fez a parte teórica, falando sobre assessoria de imprensa, marketing digital e relações públicas. A segunda, foi a vez dos alunos colocarem em prática os conceitos para desenvolver dois projetos estratégicos. Um sobre assessoria de imprensa e outro sobre marketing digital.
Distribuídos em dois grupos, com alunos de todos os períodos do curso, os acadêmicos tiveram pouco menos de uma hora para montar um planejamento estratégico de um cliente fictício e apresentar o projeto.
Para a acadêmica do sexto período de Jornalismo, Bruna Werle de Oliveira, mesmo com pouco de tempo para desenvolver o projeto, o workshop foi bem proveitoso. “A gente conseguiu conciliar o que aprendeu em sala de aula com o que ele explicou e aplicar para construir o projeto,” conta a acadêmica.
Lóssio ressalta que foi uma experiência muito bacana. Foi a primeira vez em que fez um workshop repassando o dia a dia e o trabalho de uma empresa de assessoria de imprensa. Ele destacou também que o resultado final dos trabalhos desenvolvidos pelos acadêmicos foram concluídos com bastante conteúdo.  Para ele, isso reforça que o aprendizado repassado aos alunos está alinhado com as exigências do mercado de trabalho.  ” Os alunos estavam muito bem preparados, isso mostra o processo de formação que os alunos estão tendo”, explica Lóssio.

 

Homenageada pela Alvi ministra palestra sobre rádio

Repórter: Mayara Mugnol – acadêmica do 6º semestre de Jornalismo

No dia 13 de setembro, os alunos do curso de Comunicação Social do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv) e do curso de História, da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras (Fafiuv), participaram de uma palestra sobre a história do rádio, na sala de eventos da Uniuv.

A palestrante foi a Jornalista e pesquisadora Zélia Maria Nascimento Sell. Ela falou sobre a história do rádio e seus trabalhos desenvolvidos no estado do Paraná. Zélia foi homenageada e escolhida para receber o prêmio de reconhecimento Comenda Pinhão do Vale, da Academia de Letras Vale do Iguaçu (Alvi). A palestra foi mais uma das atividades promovidas pela Academia, que constantemente  faz sessões culturais homenageando personalidades locais e regionais.

Zélia conta que a ideia de trabalhar com o rádio não foi intencional. Ela trabalhava no Instituto Casa da Memória em Curitiba e tinha contato com a Rádio Educadora. Muitas histórias eram discutidas no Instituto e a população não tinha acesso a elas. Foi com o intuito de compartilhar essas histórias com as outras pessoas que Zélia conheceu a locução.

Segundo a presidente da Alvi, Leni Trentim Caspari, a pesquisadora e Jornalista Zélia foi escolhida para ser homenageada devido ao seu trabalho de pesquisa, história, literatura e jornalismo que vem realizando no estado do Paraná.

O rádio pode ser considerado o mais popular meio de comunicação, de maior alcance do público e um dos mais antigos. Possibilita que as pessoas possam ouvir as mensagens sonoras e faladas simultaneamente sem interromper suas atividades. A comunicação do rádio é imediata. As mensagens chegam ao público em um tempo relativamente curto, e seu conteúdo está aberto para todos os ouvintes. Para Leni, a jornalista Zélia é, sem dúvidas, uma grande divulgadora de conhecimento. A ideia de compartilhar as experiências dela com os acadêmicos reforçou o que eles aprendem em sala de aula. “Pelo fato da cidade ter o curso de Comunicação Social e de História, a Alvi optou por realizar a palestra com a participação dos alunos para que eles pudessem trocar conhecimento e ter sugestões em suas futuras pesquisas e TCCs”, explica Leni.

Receber um prêmio é sempre muito gratificante. Zélia disse que estava  emocionada e tremendamente envaidecida por estar recebendo o prêmio Comenda Pinhão do Vale.

Conheça mais sobre a palestrante e homenageada

Zélia é formada em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Pós- graduou-se em Administração com Ênfase em Planejamento Governamental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Trabalhou em vários jornais e revistas, na Prefeitura de Curitiba. É membro efetiva e assídua do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná desde 1999, tendo exercido cargo de diretora de pesquisa. No ano de 2009 escreveu e publicou livro “Altdeutschen – A História Que Não Foi Contada” sobre os pioneiros alemães de 1829 Desde 2002 produz e apresenta o programa “Nossa História” transmitida pela rádio Paraná Educativa AM 630 aos sábados às 18h. O programa foi reconhecido pelo World Council Open, da Organização das Nações Unidas (ONU),como tecnologia social de grande eficácia. Por conta do programa de rádio e do livro recebeu vários prêmios.

Foto: Marcelo Lara – Rádio Educadora

Viagem para São Paulo aumenta repertório dos acadêmicos

Repórter: Mayara  Luana Mugnol – acadêmica do 6º semestre de Jornalismo Uniuv

Quebrar a rotina, sair do comodismo da sala de aula, ir além da teoria e aumentar o repertório acadêmico é uma experiência que só a universidade pode oferecer. Enquanto universitários, os alunos devem aproveitar as oportunidades e aumentar o leque de conhecimento, aderindo as  boas ideias e iniciativas.  Entre os dias 16 e 17 de agosto, os acadêmicos do curso de Comunicação Social da Uniuv, acompanhados pelos professores Ana Cristina Bostelmam, Fernando Gohl, Edinei Wassoaski e Julliana Biscaia,  realizaram uma viagem técnica a metrópole Paulistana.

Estudar em uma cidade pequena muitas vezes é sinônimo de estar distante dos grandes centros. Para a acadêmica do quarto semestre de Publicidade e Propaganda, Marina Costa, o fato de morar em uma cidade menor e no interior do estado  dificulta o conhecimento e interação com as  novidades do  atual mercado de trabalho. “A iniciativa dos professores é muito bacana, proporciona  que os acadêmicos saiam do mundo em que vivem dentro da sala de aula para conhecer, na prática, como é o mercado de trabalho fora. Pois será o nossa futura profissão”.

Durante quatro meses, a professora e coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda, Julliana Biscaia, organizou a viagem que possibilitou aos acadêmicos conhecer o Instituto Brasileiro de Opinião e Estatística (IBOPE),o programa da Rede Globo Altas Horas, a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), e  o Festival  Internacional de Animação (Anima Mundi).

Seguindo a programação, professores e acadêmicos prestigiaram duas pequenas palestras. A primeira foi na quinta-feira dia 16, ao IBOPE. Na oportunidade, puderam conhecer como é feita a medição de audiência, para que serve, quais  os veículos de comunicação  beneficiados com a pesquisa e, principalmente, desmistificar o mito de que a audiência  é manipulada. Para Luciane Ignaszevski, acadêmica do segundo semestre de Jornalismo, a visita ao IBOPE  trouxe muito conhecimento  e pode esclarecer muitas dúvidas pertinentes. “Pensava que minha audiência faria a diferença. Muitas vezes  aderi aos eventos realizados no Facebook “não assista globo”. Mas agora aprendi:só faz a  diferença quem  possui em casa o aparelho medidor de audiência”.

A segunda palestra foi na manhã da sexta-feira, 17, ministrada pela professora Elisabete Saraiva,Coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios da Comunicação da ESPM.Por mais curta que tenha sido,  muitas informações foram repassadas, entre elas as novas tendências e exigências para o mercado de trabalho. Para Marina, a palestra abrangeu  um vasto conteúdo  e uma observação de grande valor: o método de  ensino  utilizado em conceituadas universidades é o mesmo que  estamos aprendendo em sala de aula. “Estamos em uma faculdade pequena, no interior do Paraná, e estamos aprendendo a mesma coisa que universidades em grandes centros. Isso significa que temos professores qualificados, tão bons quanto os de grandes universidades’’, afirma Marina.

Busca pelo conhecimento foi o objetivo da viagem

Aumentar o repertório nunca é demais. A busca pelo conhecimento  dá a oportunidade de  entender  melhor os fatos do dia a dia.  Aline Graef acadêmica do último semestre de Publicidade e Propaganda, participou da viagem a São Paulo no primeiro ano do curso. Quando ela soube desta viagem decidiu ir novamente, por ser a última com a faculdade. No entanto, seu interesse aumentou ainda mais depois que a programação ficou definida. Na ocasião anterior, ela conheceu apenas o programa Altas Horas e agora teve a oportunidade de conhecer outros veículos como o IBOPE e ESPM. Para Aline, a  parte técnica é a mais legal, acrescenta muito ao conhecimento e repertório pessoal, e, é na faculdade o momento em que se tem contato com esses veículos. “Se não fosse por meio da faculdade, a gente não teria contato com o IBOPE, que é um órgão que vamos trabalhar na vida profissional, mas é interessante conhecer antes também”, esclarece.

A viagem proporcionou mais do que conhecimento técnico ou pessoal, foi o momento de interagir com outros colegas. A acadêmica de Jornalismo Luciane está no curso há seis meses e diz que ainda não estava se sentindo enturmada com os alunos dos outros anos do curso. “Tudo é novo. Desde os conteúdos das matérias até os professores em sala de aula. A viagem reforçou essa aproximação entre os acadêmicos dos outros anos e oportunizou conhecer os professores que ainda não me dão aula”.

 

 

JUCS retornam à Porto União e União da Vitória e contam com a participação dos alunos da Uniuv

Repórter: Mayara Luana Mugnol – acadêmica do 5º semestre de Jornalismo

Os Jogos Universitários de Comunicação Social (JUCS) serão realizados nos dias 14, 15 e 16 de junho de 2013. Contará com duas festas open-bar e dois dias de disputas das seguintes modalidades: futebol, handebol, basquetebol, tênis de mesa xadrez e vôlei de ambos os sexos. Os jogos surgiram no Paraná por meio da iniciativa dos alunos da UFPR e da PUC-PR. A primeira edição foi realizada em 2006, na cidade de Apucarana. Em 2010, o evento, se expandiu,contando com a participação de faculdades de todo o Sul do Brasil. Desde então, todo ano,o JUCS cresce, agrega a sua organização novas universidades e aumenta o número de participantes.

O evento conta com duas edições: a primeira no final do primeiro semestre (JUCS) realizada no inverno. A segunda edição é no final do ano (JUCS Beach) que acontece no litoral.

Em 2013, será realizada a oitava edição do JUCS nas cidades de Porto União (SC) e União da Vitória (PR). As cidades irmãs já haviam sediado no ano de 2010 a quinta edição dos jogos, no entanto, muitos acadêmicos das cidades anfitriãs desconheciam a existência do evento. Por meio da divulgação e iniciativa dos alunos do sétimo semestre de Comunicação, pela primeira vez, os jogos contarão com a participação dos alunos de todos os semestres de Comunicação Social do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv).

Os acadêmicos da Uniuv estarão participando de três modalidades: Vôlei feminino, Futsal masculino e Basquete masculino. A iniciativa de promover os jogos vai além de uma competição, é o momento de descontrair, conhecer outras pessoas, fazer novas amizades e fortalecer o vínculo com os colegas de faculdade.

"Penso poder levar adiante e criar, quem sabe, uma atlética. Acho que seria legal”.
“Penso poder levar adiante e criar, quem sabe, uma atlética. Acho que seria legal.”

Para a acadêmica do primeiro semestre de Publicidade e Propaganda, Gabriela Borges Souza, o evento será muito importante para a união do curso, principalmente para quem está iniciando este ano. “O evento pode acrescentar a experiência de participar e ver como é, além de interagir com outros alunos. Por ser acadêmica do primeiro ano, penso em poder levar adiante e criar quem sabe uma atlética. Acho que seria legal”, fala entusiasmada.

Os Jogos reúnem, anualmente, alunos de comunicação (Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Comunicação Institucional) das faculdades do Sul do Brasil, com o objetivo de proporcionar diversão,descontração e e integração entre os estudantes.

Estudos teóricos são complementados por trabalhos práticos

Repórter: Mayara  Luana Mugnol – acadêmica do 5º semestre de Jornalismo

cobaia

 

Produzida pelos acadêmicos de Jornalismo do sexto semestre de 2012, a segunda edição da Revista Cobaia abrange pautas que vão desde a aventura de brasileiros quem moram fora do País, até um perfil com um cantor e compositor de Cruz Machado.

A parte de produção está praticamente finalizada e o lançamento será em breve.

Para saber mais acompanhe a reportagem com o acadêmico do sétimo semestre de Jornalismo, Rodrigo Reis.

matéria blog mayara ok