Palestra faz sucesso com os acadêmicos da Uniuv

Repórter: Thaís Siqueira Pinto – acadêmica do 6º semestre de Jornalismo

Muitos acadêmicos ficaram satisfeitos com a palestra de abertura do Enaproc no Wooden Hall. Dizem ter gostado muito sobre o tema abordado e também acharam interessante o modo de como o palestrante interagiu com a plateia

O 8º Encontro Anual de Produção Científica (Enaproc) aconteceu nos dias 17 e 18 de outubro de 2011, e foi promovido pelo Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv). Para a abertura, a Uniuv trouxe a palestra do professor Max Haetinger, que abordou o tema “Educação, Pesquisa e Criatividade”. O evento aconteceu no Centro de Eventos Wooden Hall em União da Vitória (Paraná).

“O objetivo do evento foi levar para os acadêmicos uma palestra que não falasse sobre motivação, mas que mostrasse que o encontro de produção científica significa muito para a vida acadêmica, e os benefícios que ele traz são vários”, diz o reitor da Uniuv, Jairo Vicente Clivati. Para ele, o evento superou todas as expectativas, pois a palestra foi concreta e não motivacional. “O Max soube passar com muita clareza e profundidade a importância que a pesquisa e a produção têm na educação e com seu humor surpreendeu a todos”, ressalta.

De acordo com Haetinger, acreditar no futuro é essencial para qualquer pessoa se dar bem na vida. Pois quem acredita e luta pelos seus sonhos, chega a qualquer lugar. Ele disse em sua palestra que todos os acadêmicos precisam ser curiosos, pesquisar bastante sobre assuntos diversificados e tudo que achar necessário.

Segundo a Pró-Reitora de Ensino da Uniuv, Maria Genoveva Bordignon Esteves, no período matutino quase 500 lugares foram tomados por professores e acadêmicos da Uniuv, e no período noturno aproximadamente 700 lugares. Ela conta que escolheu a palestra de Max para os acadêmicos no ano passado, onde assistiu a uma palestra dele e acabou gostando muito.

A estudante do oitavo semestre do curso de Jornalismo da Uniuv, Janaína Anair da Silva, conta que gostou muito da palestra, ainda mais por ter sido em um lugar diferenciado, como o Wooden Hall. Para ela, foi uma das melhores palestras do Enaproc. “Foi muito divertido e ainda me fez lembrar uma palestra que gostei muito, que foi a em comemoração aos 37 anos da Uniuv ‘A vida que vale a pena ser vivida’, com o professor Clóvis de Barros Filho”, conta. Ela acha que se a maior parte dos palestrantes abordassem os temas do jeito que ele abordou elas não ficaram maçantes.

 

Alunos confirmam: trabalhar e estudar na área tem suas vantagens

Repórter: Bruna Oleskovicz – acadêmica do 5º semestre de Jornalismo

Trabalhar e estudar é a rotina de muitos universitários, pois  a maioria deles está no mercado de trabalho porque precisa se sustentar ou auxiliar nos gastos da família. Alguns possuem a sorte de trabalhar na área em que estudam, outros ainda não têm essa vantagem.

Wagner Bilitzki é acadêmico do primeiro semestre de Jornalismo e desde o início das aulas começou a atuar na futura profissão. “Trabalho em uma rádio na cidade de Canoinhas (SC) e exerço a função de locutor e repórter”, conta.  Para ele, a faculdade tem sido essencial e o ajuda muito no trabalho. “O curso me fornece maior auxílio com as tarefas da profissão, principalmente na escrita, pois trabalho com redações e criações de textos e também com as expressões em público”, ressalta. Porém, Bilitzki não pretende seguir essa carreira depois de formado. “Pretendo trabalhar na área de jornalismo investigativo, em televisão”, conta o acadêmico.

Desde os 13 anos, João Ernani Skodoski, acadêmico do quinto semestre de Publicidade e Propaganda, trabalha na área em que estuda. Segundo ele, apesar de atuar desde cedo no ramo, a faculdade faz diferença na rotina do trabalho. “O trabalho me auxilia nas aulas práticas do curso. E as aulas me trazem um conhecimento teórico, que eu não tenho na prática do trabalho”, afirma.

O estudante do quinto semestre de Jornalismo, Fábio Rodrigues, conta que desde que começou a trabalhar na área percebeu grandes diferenças, principalmente nas notas. “Melhora muito no desempenho, pois estando na faculdade você tem noção de como você utilizará esse conhecimento lá fora”, conta. Para ele, essa vantagem traz maiores benefícios dentro de sala de aula, como se tornar mais participativo nas aulas. “Você consegue associar a teoria com o que você vivencia e, assim, você cria uma participação mais ativa”, ressalta. Rodrigues também conta que sente maior responsabilidade ao atuar na área em que estuda. “Você aprende na faculdade o que é certo e o que é errado na profissão e cobra de si essa questão na prática”, afirma o acadêmico.